Depois de mais de dois meses afastado, prefeito de Goiatins reassume prefeitura: população comemora e CPI continua

 Sara Cardoso

Afastado desde o dia 17 de agosto, o prefeito de Goiatins, Neudir Saorin (PSDB), reassumiu o cargo por meio de liminar que alegava que a votação que decidiu por seu afastamento por mais 17 dias não foi feita corretamente. Segundo o presidente da Câmara, Vinícius Donnover (PSD), que assumiu a prefeitura durante o afastamento, a investigações, por meio da CPI, vão continuar. Já o presidente da CPI, Sharlivan Duarte, acusa ao prefeito de estar pressionando servidores para participar de movimento contra a Câmara. No entanto, moradores negam que Saorin esteja fazendo algum tipo de pressão e destacam o ótimo trabalho do prefeito. 
O prefeito de Goiatins, Neudir Saorin (PSDB), afastado desde o dia 17 de agosto, reassumiu o cargo nesta última terça-feira, 25, por meio de uma liminar. O prefeito havia sido afastado por 60 dias para que a Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI pudesse realizar investigações que envolvem desvio de dinheiro público, uso de notas fiscais clonadas e fraudes em licitações.


Antes do resultado da liminar, no último dia 14, por oito votos contra um os vereadores tinham aprovado a prorrogação do afastamento por mais 17 dias. A prorrogação seria para que a CPI finalizasse as investigações. Contudo, o prefeito conseguiu reassumir a prefeitura porque nesta votação houve falha: o presidente da Câmara, Vinícius Donnover (PSD), que assumiu a prefeitura durante o afastamento, não poderia ter votado, já que seria o maior interessado em manter Saorin afastado do cargo para permanecer na administração.


Ao Site Roberta Tum, Donnover contou que mesmo com o retorno do prefeito, a CPI continuará com as investigações. “Vamos continuar e já encontramos provas de que o prefeito emitiu notas falsas e clonadas, registro de empresas fantasmas e suborno a vereadores e empresários”, afirmou o presidente.


Manifesto 

Conforme o presidente da CPI, vereador Sharlivan Duarte, nesta sexta-feira, 27, o prefeito Saorin teria convocado a população para um manifesto contra a corrupção. “O que mais surpreende é que mesmo sendo alvo de investigação por vários atos de improbidade administrativa, que segundo a CPI está custando quase um milhão aos cofres públicos, o prefeito tenta corromper os vereadores com propinas e censurando os comissionados e contratados para que participem dos movimentos contra a Câmara, ato esse que é inconstitucional”, afirmou o vereador.




Fonte: Roberta Tum

Nenhum comentário