Tocantins e Maranhão ganham 20 novas bibliotecas rurais; Confira


Incentivar a leitura no campo, por meio da implantação de bibliotecas, da formação de agentes de leitura e da distribuição de acervos adequados a cada necessidade e interesse de comunidades rurais. Este é o objetivo do Programa Arca das Letras, que entrega nesta sexta-feira (20), mais 20 bibliotecas rurais aos estados de Tocantins e do Maranhão. As comunidades registram seus pedidos de bibliotecas e o MDA articula as parcerias.

Além da entrega das arcas, na oportunidade, serão capacitados 40 agentes de leitura voluntários das comunidades, que vão aprender técnicas de incentivo a leitura.  Eles serão responsáveis pela administração das bibliotecas de sua comunidade e por incentivar a população a adquirir o hábito de ler.

De acordo com a coordenadora nacional do programa, Cleide Soares, com a implantação das novas bibliotecas rurais o Programa Arca das Letras vai beneficiar mais de duas mil famílias de assentamentos da reforma agrária e associações de crédito fundiário no Tocantins. No Maranhão serão 320 famílias de assentamentos. Em cada arca será entregue um acervo inicial de 230 livros, escolhidos de acordo com a indicação e demanda das famílias, com o intuito de promover a leitura nessas comunidades rurais.

Os móveis-arcas que serão entregues ao Tocantins e Maranhão foram confeccionados com a colaboração da Organização Não Governamental (ONG) Gaia Social. “O arca das letras está retomando as ações no Tocantins com novas parcerias e pretendemos continuar ampliando o número de bibliotecas rurais”, conta Cleide Soares.

De acordo com a gerente de desenvolvimento regional sustentável da ONG, Érika Anseloni, a Gaia Social trabalha há 22 anos com o desenvolvimento sustentável educacional. Engajada no propósito de promover a conservação ambiental, a educação e a inclusão social de comunidades carentes, a ONG conheceu o Programa Arca das Letras em 2011. Junto ao MDA e às comunidades dos estados do Tocantins e do Maranhão promoveu o trabalho de incentivo, divulgação e implantação das arcas.
Para Érika, o Arca das Letras se encaixa perfeitamente às necessidades das comunidades do Maranhão e do Tocantins. “O programa é muito interessante porque aqui é uma região muito pobre, carente, a educação é precária. Com ele será possível melhorar os índices educacionais”, afirma.

Outra vantagem, destacada pela gerente da ONG é a autonomia que o programa dá à comunidade. Segundo ela, o método utilizado faz com que a própria comunidade tome a frente de suas bibliotecas tornando-os protagonistas da história. “O Arca das Letras estimula a comunidade a participar ativamente do programa. É a população que escolhe os agentes, o local onde será instalada a biblioteca, que cuida das arcas, dos livros”, ressalta. Segundo ela, esse estimulo é importante para a própria autoestima da comunidade, pois eles se sentem importantes e passam a participar mais e buscar conhecimento.

Em Tocantins serão contempladas com o acervo de livros as comunidades rurais dos municípios de Barra do Ouro, Babaçulândia, Darcinópolis, Filadélfia, Goiatins, Itapiratins, Palmeiras do Tocantins e Tupiratins. No Maranhão, os municípios de Carolina e Estreito serão os beneficiados.

O Programa
Desde 2003, o Programa Arca das Letras já implantou em todo o país 8,9 mil bibliotecas rurais em 3.022 municípios. Até o final de março, mais de 2,5 milhões de livros foram distribuídos, beneficiando aproximadamente 1,5 milhão de famílias do campo, dentre agricultores, assentados da reforma agrária, pescadores, quilombolas, indígenas e populações ribeirinhas.

Fonte: O Girasol