Depois de má repercussão, governo decide revogar decreto e retirar TO do horário de verão


O pedido de exclusão do Tocantins do sistema de horário de verão será formalizado ainda hoje através de ofício a ser enviado “o mais rápido possível”, conforme determinação do governador.


De acordo com nota encaminhada pelo governo, sensível aos apelos de comerciantes, empresários e cidadãos tocantinenses, o governador Siqueira Campos solicitará à presidente Dilma Rousseff e ao ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, a desistência do Tocantins da adesão ao horário de verão. A decisão foi tomada pelo chefe do Poder Executivo na noite de ontem.
 
O pedido de exclusão do Tocantins do sistema de horário de verão será formalizado ainda hoje através de ofício a ser enviado “o mais rápido possível”, conforme determinação do Governador. 
 
Com a solicitação, a administração estadual cumpre seu papel de fazer uma administração transparente e em consonância com a maioria dos tocantinenses que demonstrou ser contrária às mudanças.
 
Sintonia com a população
Onterm. a informação foi confirmada pelo secretario de Relações Institucionais, Eduardo Siqueira Campos(PSDB), que disse em entrevista ao Portal T1 Notícias  ter conversado com empresários, comerciantes, e técnicos da área de energia, antes de obter do pai, governador Siqueira Campos o entendimento de recuar da decisão e revogar o decreto.
 
“Entre a sintonia com Brasília, em horários bancários e de vôo e a sintonia com a população, que não quer o horário de verão, vamos ficar com a segunda opção”, resumiu.
 
Questionado se ainda daria tempo de fazer a alteração, uma vez que o secretario nacional de energia elétrica havia informado ao deputado federal César Hallum de que este ano não era mais possível fazer a exclusão, Eduardo Siqueira disse que já considera válido manter a rotina dentro do Estado.
 
“Se não der para mexer no que já foi acordado com companhias aéreas, dentro das suas programações, acho que quem vai utilizá-las não terá problemas com esse ajuste, mas a rotina interna do Estado, o horário do trabalhador, fica mantido como está”, afirmou.
 
O secretario disse ter confirmado que a economia de energia é mínima e defendeu que a intenção original do governo era fazer o ajuste com Brasília e jamais dar algum tipo de prejuízo ao cidadão comum, “como chegou maldosamente a ser colocado por alguns”.
 
A decisão do governo em voltar atrás na inclusão do Estado no horário de verão aconteceu após um dia de intensas manifestações contrárias por parte de populares e formadores de opinião nas redes sociais.

Com informações do T1 Notícias