Com verba de US$ 168 milhões, Governo do Tocantins executará nova frente de obras

Pela manhã, o PIER passou na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. Com a aprovação no Plenário do Senado do Projeto de Infraestrutura Rodoviária (PIER) nesta quarta-feira, 31, em Brasília, um investimento total de US$ 168 milhões, o Governo do Tocantins prepara uma nova frente de obras de infraestrutura. O empréstimo contratado junto ao Bilbao Viscaya e Deutsch Bank é de US$ 143,91 - há US$ 25 milhões de contrapartida.


São, ao todo, 15 pontes de médio porte no trecho de Campos Lindos a Recursolândia e uma grande, em Barra do Ouro. Além disso, o projeto prevê serviços nos trechos das rodovias TO-130 (entre Santa Tereza e Ponte Alta do Tocantins), TO-239 (entre Itapiratins e Itacajá), TO-020 (entre Recursolândia e Campos Lindos) e TO-425 (entre o povoado de Bielândia e Barra do Ouro).

“É uma notícia excelente para o povo do Tocantins. É um projeto maravilhoso de infraestrutura. Porém, não fica restrito apenas a obras, mas melhores condições para as pessoas trafegarem pelo Estado, o escoamento da produção e transporte de nossas riquezas", afirmou o Governador Siqueira Campos ao ser informado da aprovação, nesta tarde.

Pela manhã, o PIER passou na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, com apoio e manifestações positivas dos senadores do Estado João Ribeiro, João Costa e Marco Antônio Costa. Presentes na reunião, eles destacaram a importância do projeto para o desenvolvimento do Estado.

"O governo já antecipou uma parte da contrapartida, que é de US$ 17,5 milhões para não haver paralisação dos serviços. Isso foi uma determinação do governador", disse o secretário da Infraestrutura do Tocantins, Alexandre Ubaldo. Ele acompanhou a sessão do Senado.

Ubaldo, informou que já há ordem de serviço para algumas obras e outras como a ponte de Barra do Ouro estão prontas. "A previsão de algumas dessas obras é começar já neste ano", disse.

De acordo com o secretário de Representação do Estado em Brasília, Flávio Peixoto, em até duas semanas os contratos serão assinados. “O próximo passo é o envio do projeto à Procuradoria da Fazenda para trâmites burocráticos como elaboração de minutas do contrato, portaria do ministério com autorização até a assinatura”, disse.

Com informações de Surgiu